Imprensa

Voltar

Notícias

31/mar/2010 às 14:42

ITAPEVA/SP RECEBERÁ 220 MORADIAS PELO PROGRAMA NACIONAL DE HABITAÇÃO RURAL

      No Centro de Convenções Circuito das Águas, em Serra Negra, o Sindicato dos Trabalhadores da Agricultura Familiar (Sintraf Itapeva) participou na segunda-feira (22), do 54º Congresso Estadual de Municípios para assinatura do primeiro contrato do Brasil que viabilizará a construção de 220 habitações rurais no município de Itapeva pelo Programa Nacional de Habitação Rural (PNHR), dentro do Programa Minha Casa, Minha Vida.

      Para Marco Antonio Augusto Pimentel, dirigente da Federação dos Trabalhadores da Agricultura Familiar (Fetraf-Brasil) “a solenidade concretizou o início projeto nacional do Programa Minha Casa, Minha vida que é de fundamental importância para agricultura familiar. Partindo da implantação dessa política primordial, esse é um grande passo para fortalecer nossa organização e a Cooperativa de Habitação dos Agricultores Familiares (Cooperhaf SP)”, considerou.

      Pioneiro na construção de habitações rurais pelo referido Programa, Itapeva e Taquarivaí já contam com 21 unidades habitacionais rurais executadas por meio de parcerias que a Federação dos Trabalhadores na Agricultura Familiar (FAF/CUT-SP) e Cooperhaf SP estabelece com entidades como Ministério das Cidades, Secretaria Estadual de Habitação e Caixa Econômica Federal.

      Segundo Carlos Eduardo Augusto Pimentel, coordenador de habitação no município, “a assinatura dos 14 empreendimentos onde serão construídas 220 casas evidencia nossa aptidão enquanto organização de dar continuidade ao projeto habitacional”.

      Na ocasião foram assinados novos contratos para construção de 5.879 habitações urbanas em São Paulo, com investimentos de R$ 514 milhões. Desde o início do Programa Minha Casa, Minha Vida, foram assinados contratos para a construção de 76.015 unidades habitacionais, totalizando R$ 4,9 bilhões, beneficiando mais de 300 mil pessoas e gerando em torno de 420 mil empregos diretos e indiretos.

 

  Escrito por FAF/CUT-SP