Imprensa

Voltar

Notícias

28/dez/2012 às 09:09

Cooperhaf fecha o ano com 5.921contratos de habitação rural assinados

Desde que começou a ser operado, em 2009, a Cooperhaf contabilizou a contratação, por meio da Caixa Econômica Federal, de 5.921 projetos de habitação rural através do PNHR – Programa Nacional de Habitação Rural Minha Casa Minha Vida, sendo 2.099 em Santa Catarina, 1.778 no Paraná e 2.044 no Rio Grande do Sul.

Somente neste ano de 2012 foram assinados 3.018 contratos e 952 projetos já foram entregues nas agencias das Caixas e estão em fase de análise. São milhares de famílias agricultoras dos três estados do sul, beneficiadas com reforma ou novas moradias e que realizaram o sonho de viver melhor no meio rural.

 Além dos milhares de contratos assinados, uma importante conquista em 2012, foi a entrada do Banco do Brasil, mais um agente financeiro habilitado para operar o PNHR.  A Cooperhaf foi a pioneira e assinou cerca de 20 contratos para um projeto piloto realizado entre agricultores familiares, cooperativa e Banco do Brasil.Foram os primeiros contratos assinados no país.Além disso, as filiais da Cooperhaf em Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul entregaram nas agencias do Banco, 1615 projetos que também estão em fase final de análise.

Para a direção da Cooperativa, apesar do meio rural ainda possuir déficit na habitação, os números apresentados são relevantes e neste ano, servem para refletir sobre todas as conquistas e encarar os próximos desafios, no mais puro e verdadeiro espírito cooperativista. De acordo com a presidente da Cooperhaf, Liane Vitali Kothe, é um número expressivo, pois significa um valor estimado em R$ 120 milhões investidos pelo Governo Federal em subsídios e financiamentos pelos agentes financeiros e que gera empregos e movimentação da economia dos municípios. 

Vale ressaltar que este montante é apenas uma média, do subsídio recebido pelo governo federal, pois além do valor do subsídio variar de acordo com o grupo que o agricultor é enquadrado (G1 ou G2) muitos agricultores colocam contrapartida ou financiam um valor maior para complementar a reforma ou construção da moradia.

Ainda de acordo com a direção da Cooperhaf, isto tudo é fruto e resultado do trabalho e esforço realizado conjuntamente com a Federação dos Trabalhadores na Agricultura Familiar (Fetraf Brasil e Fetraf-Sul/CUT), com os coordenadores municipais de habitação dos Sindicatos dos Trabalhadores da Agricultura Familiar (Sintraf) e Sindicatos dos Trabalhadores Rurais (STR) e das Cooperativas de Crédito Rural com Interação Solidária de Santa Catarina e do Rio Grande do Sul (Cresol Central SC/RS), entre outros parceiros. “Para 2013 o desafio será ainda maior”, finaliza Liane.

Assessoria de Imprensa Cooperhaf

Fotos : Sindicatos Coronel Vivida e Chapecó